Ah essa maldita matemática….

Gente, sem brincadeira: a maioria dos comentários que recebo aqui no blog são de postulantes à Designer de Interiores questionando sobre a existência da matemática na profissão. Então, para ver se param com isso vai o recado:

Tem matemática sim e não é pouca não. Porém não é nenhum bicho papão – ao menos para os esforçados.

Fonte: Grandes Mestres da Matemática

Na verdade, creio que não há área onde a matemática não esteja presente. Comentários como “odeio matemática” ou “sou péssimo em matemática” para mim representam apenas uma coisa: gente preguiçosa, sem vontade de esforçar-se para ser alguém na vida.

Eu sempre fui péssimo em matemática e hoje estou aqui envolvido em cálculos e mais cálculos de iluminação – não, não uso programas que os fazem para mim.

De uma maneira bem direta vou repetir: se quer fugir da matemática, nem sonhe em fazer Design de Interiores. Até os decoradores tem de gostar de matemática. Logo, também é uma área correlata que não te serve.

Vamos brincar um pouco analisando as disciplinas mais comuns que compõem um curso de Design de Interiores que tem matemática:

Projeto de Interiores – todos os módulos, sem excessão, tem matemática: cotas, medições, paginações, quantificações, etc etc etc

Composição Espacial – ergonomia, dimensão, volumetria, geometria, etc
Desenho – cotas, números, geometria, etc etc etc

História da Arte – dimensões das obras: você sabe quantos m² uma tela de 1,20m x 2,00m vai ocupar de uma parede?

Desenho Construtivo – cálculos, leituras de plantas, escalas, etc etc etc

Antropologia Cultural – linha do tempo: você sabe dizer ha quantas décadas aconteceu a revolução industrial? Ou sabe dizer que século é este (XVIII) sem ter de contar letra por letra?

Gestão – agenda, cronograma, orçamentos, etc etc etc

Informática – a maioria dos softwares utilizados são baseados em numeros.

Desenho de Perspectiva – numeros, cotas, geometroa, espacialidade, etc etc etc

Ergonomia – altura, largura, espessura, flexibilidade, densidade, etc etc etc

Produção Fotográfica – quantidade de luz, espacialidade, etc etc etc

Maquete – cotas, escala, dimensão, relação, formas, geometria, etc etc etc

Projeto de Moveis – cotas milimétricas, quantificação, espessura, largura, profundidade, ergonomia, etc etc etc

Técnicas de Representação – escala, dimensão, etc etc etc

Materiais e Revestimentos – escala, quantificação, dimensão, paginação, formas, geometria, composição, etc etc etc

Instalações Elétricas e Hidráulicas – cálculo luminotécnico, quantificação, desenho, cotas, etc etc etc

Sistemas, Equipamentos e Instalações – cálculo de carga elétrica, consumo, quantificação, etc etc etc

Conforto Ambiental – cálculo acústico, cálculo térmico, paginação, resistênsia, absorção, reflexão, etc etc etc

Projeto de Paisagismo e Jardinagem – quantificação, forma, geometria, volumetria, etc etc etc

Tecnologia Dos Materiais – resistência, flexão, torção, composição, etc etc etc

Gerenciamento de Obras – cronograma, orçamento, etc etc etc

Métodos e Técnicas de Pesquisas – pesquisas geralmente envolvem quantificação, lógica, tabulação, percentuais, etc etc etc

Gestão Empresarial – vai levar a sua empresa à falência por nao saber cuidar de seus gastos?

Estes são apenas alguns exemplos de onde a matemática entra em design de Interiores/Ambientes, existem ainda outras disciplinas e componentes matemáticos presentes nessa profissão.

Então, se você pensa em entrar nesta área pensando que não vai precisar de matemática: DESISTA!

E aí?

Deu preguiça?

Vai encarar?

12 comentários sobre “Ah essa maldita matemática….

  1. Olá Paulo! Bom percebendo em seus posts, DI utiliza bastante matemática. Mas você indica fazer algum tipo de curso de matemática ou algo do tipo?

  2. Pingback: Está pensando em cursar Design de Interiores? | Design: Ações e Críticas

  3. O artigo em questão é bem chocante para aqueles “pessimistas”. E eu também ficaria chocado, já que até há dois anos, eu era pessimista quanto ao meu esforço.

    Bastava ver e ouvir casos envolvendo geometria, equações aliadas ao bhaskara, além de estatísticas, lógica de raciocínio e matemática financeira, que eu “cagava” nas calças.

    Hoje, aos 22 anos, me sinto preparado porque tomei vergonha na cara ao resolver estudar e alcançar uma nota razoável no Enem de 2012 á 2014 (exceto o de 2013). E assim, só apresentei uma melhoria, em que eu achava a lógica um bicho de sete cabeças.

    Então estou estudando Tecnologia da Informação e tivemos álgebra linear, calculo diferencial e etc, e confesso que a princípio tivemos (sim, todos nós da sala) dificuldades de assimilar o estudo e concluí o seguinte: não importa se a instituição tenha muita ou pouca carga horária de estudo, ainda assim é preciso exercitar de forma continuada, que só assim o nosso cérebro ficará “malhado”. E isso vale até aos mais inteligentes da escola, que deparam o nível de contraste da escola de ensino médio para superior.

    Então a dica é: Aprenda a amar a matemática do jeito que ela é e vocês serão profissionais diferenciados! Do que adianta a teoria se não temos a prática?

    Abraços a todos e espero que vocês não se acomodem porque a matemática é um bicho de sete cabeças. Mas quero garantir lhes que vocês deveriam ao menos TENTAR….

  4. Nivia de Manaus
    bom dia! gostei bastante de seu blog Paulo.
    iniciei o curso de designer de interiores este ano, gosto muito de decoração de interiores e paisagismo, sempre atuei no mercado comercial, hoje com os filhos encaminhado posso fazer o que sempre sonhei, li os seus comentários, gostaria de saber se você tem algum conceito da faculdade Marta falcão que agora é DeVray aqui de Manaus.

    desde já valeu tds as dicas.

  5. eu estou terminando o ensino medio este ano e quero muito fazer design de interiores mais nao sou bem em matématica,mas nao vou desistir pq eu sei que se eu me dedicar bastante eu consigo!

  6. Agora eu to lascada mesmo ! O que mais quero fazer na vida, e descubro que essa maldita matemática se faz tão presente. Sabia que envolvia, ela sempre está presente, mas não sabia que era tanto ! Termino o ensino médio esse ano, e não tinha ”medo” de encarrar essa profissão, agora não sei o que faço. Desistir eu sinto que não quero, mas já estou com esse medão de fazer o curso. Eu penso que agora dá um medo, mas como eu gosto dessa área, acho que quando o fizer, nem vou me importar. Mas agora, neste momento, estou meio decepcionada hahaha espero que dê tudo certo. Abraço

  7. De fato, matemática está presente em praticamente todos os cursos, uma pena :(
    Meu maior problema é com física, desde o ensino médio eu brigo com essa maldita mas ela simplesmente não vai com a minha cara! Na minha cabecinha dura, nem os princípios mais básicos entram =/
    E o grande problema do ensino superior é que ou você aprende, ou você aprende! rsrs devida a carga horária os professores passam a matéria carregada de coisa e em um curto período do tempo, difícil assimilar!
    Eu me identifico demais com o curso, dentre todos os cursos que já pesquisei esse sempre foi o que mais me chamou a atenção, mas por saber que tenho muita dificuldade com cálculos acabei desistindo.
    Optei por psicologia que era a minha segunda opção (depois de D.I). É um curso difícil como qualquer outro, mas ao menos me livrei totalmente da exatas! haha Não digo que estou infeliz com a escolha, mas é uma pena essa minha dificuldade com cálculos.

    Ps: nem sempre é preguicinha, eu mesma sou um exemplo haha cheguei inclusive a pagar aulas particulares de matemática e fisica, mas mesmo assim não assimilei praticamente nada. Tudo era muito difícil e em alguns momentos cheguei a entrar em verdadeiro desespero.
    E por incrível que pareça me considero inteligente hahaha juro!
    Enfim… são as exatas que não vão com a minha cara mesmo!

    Um abraço!

  8. Olá, meu nome é Luanna Gorges eu tenho 18 anos. Estou pretendendo fazer Design de interiores, mas o que sempre me deixou com um pé atrás foi que nesse curso, há muita matemática. Sempre fui péssima em matemática, e confesso que quando li esse seu texto me senti chocada com o termo ”preguiçoso”. Tudo bem, entendo que sem esforço não conseguimos atingir nossos objetivos. Mas, quando se está no ensino médio há uma grande quantidade de matérias, e isso só diminui o tempo que temos a nos dedicar a matemática e cálculos em geral. Espero que na faculdade, tenha um tempo maior para ter essa concentração, e espero realmente que consiga entender essa tão complicada matemática. Afinal, esse é o único curso que me sinto livre para poder expressar ”minhas criações”

    • Luanna,
      rsrsrsrs o “preguiçoso” que usei no texto foi de forma provocativa e não pejorativa.
      Num curso superior você também terá muitas disciplinas e em várias, como coloquei no texto, a matemática se faz presente.
      abs e sucesso ;-))

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s