Lighting: erros básicos

É muito comum perceber erros nos projetos de iluminação que demonstram o óbvio desconhecimento do prejetista sobre os equipamentos e acessórios, modelagens projetuais, eficiência energética, estética, segurança entre tantos outros.

É sabido que hoje em dia, em média 70% de um projeto se faz com o Light Design. De nada adianta gastar horrores com móveis de design assinado, revestimentos caríssimos se o projeto de Lighting não for muito bem elaborado.

Tempos atrás visitando uma mostra de decoração me deparei com um home-theater muito bem montado funcional e esteticamente. Porém o projeto de iluminação estava péssimo. Havia uma tela de plasma numa parede e junto à parede oposta um sofá daqueles que é o sonho de consumo de qualquer um.

Mas bem em cima deste sofá, onde deveríamos nos sentar confortavelmente para assistir seja lá o que for – PASMEM! – foram instaladas 14 spots embutidos duplos para lâmpadas AR111. Isso dá um total de 28 lâmpadas num espaço com pé direito comum – 2,65m +- – quando estas lâmpadas foram projetadas para alturas mínimas de 3,00 metros. Issos em contar as incontáveis dicróicas espalhadas pelo resto do espaço, o ar condicionado gritando em potência máxima na tentativa de reduzir o calorão que estava lá dentro…

Comecei a dar risada pois não me aguentei diante de tamanho absurdo. Foi quando a dupla responsável pelo ambiente já veio arrogantemente me dizer que se eu não tinha gostado do espaço que me retirasse. UAW!!! Que profissionalismo e ética. Entreguei um cartão meu e me retirei. Sem contar ainda que o tema era “sustentabilidade”…

O pessoal acha que apenas com os parcos conhecimentos adquiridos na faculdade já estão aptos a sair desenvolvendo projetos à torto e a direito. Não é bem assim. Não é simples assim.

É exatamente por isso que vejo contantemente erros e mais erros projetuais em lighting. Incluindo aqui nos projetos de muitos dos bambambãns e socialites.

3010216920_4f2fb32efe

A imagem acima nos dá a exata noção do tamanho do desconhecimento do projetista no tocante a equipamentos para iluminação.

Os rebatedores são uma “mão na roda” para resolvermos a iluminação de grandes espaços. Mas para utiliza-los não basta levarmos em conta isso ou que eles estejam na moda.  Percebam na imagem que o facho da lâmpada é maior que o diâmetro do rebatedor o que ocasiona a fuga de luz para a parede além das horríveis sombras projetadas do rebatedor.

Os erros cometidos? Erros de angulação e distância. Já que a luminária encontra-se a determinada distância do rebatedor, temos de analisar – devido à distância – em que raio a abertura do facho estará na distância em que o rebatedor estará localizado. Aqui o projetista utilizou uma lâmpada onde a abertura acabou ficando maior do que deveria.

Outro caso:

109153990_4946d3e123

Fala sério!!! Como esse povo gosta de gastar energia e provocar ofuscamentos desnecessários.

Aqui percebe-se claramente que o projetista não levou em consideração a arquitetura. A única coisa que se percebe e uma explosão de luz na tentativa de “querer aparecer” em meio à paisagem urbana.

Percebam que até mesmo os elementos arquitetônicos mais sutis ficam “foscos” em meio a tanta luz.

Em tempos de eficiência energética percebemos que o pessoal anda meio desligado sobre o assunto.

hillcrest_020109_02

Olhem que “belezura” os reflexos no teto. Vidros, espelhos, cromados, dourados facilmente refletem a luz formando essas ilhas de reflexos nas outras superfícies. CUIDADO!

calligaris_311208_02

Percebam na sanca a explosão de luz causado ofuscamento. Erro? Desconhecimento dos equipamentos, potência adequada, pode também ser erro de abertura da sanca entre vários outros. Isso mata qualquer projeto. E percebam que o mesmo erro foi cometido sequencialmente em vários ambientes que aparecem mais ao fundo na imagem.

A luz indireta produzida pelas sancas (built-in) devem ser pensadas como luz secundária, apenas de preenchimento e nunca como principal.

bestlite_281208_02

A imagem acima nos mostra mais um erro crasso e muito comum: posicionamento em relação ao usuário.

Tudo bem que esteticamente fica muito bonito. Mas coloque-se em pé de frente com esta luminária e tente conversar com a pessoa que está do outro lado da mesa… Isso sem contar que este tipo de instalação provoca ofuscamento quando estamos sentados.

Bom, espero que com estas dicas e observações ao menos vocês leitores, parem de cometer esses erros.

E nunca é tarde para lembrar: não queira fazer tudo sozinho. As parcerias estão aí exatamente para evitar estes erros comuns e bobos.

8 comentários sobre “Lighting: erros básicos

  1. Pingback: Dúvidas sobre iluminação (LD)? « Design: Ações e Críticas

  2. Paulo,
    Era exatamente isso que eu quis dizer na resposta do seu email. Os “bambambans” nunca dão o braço a torcer… Fiquei só curiosa prá saber qual era a mostra de decoração…

  3. Pingback: Lighting: erros básicos : arquitetura

  4. Não consigo ver as imagens, Paulo, mas entendo perfeitamente o que queres dizer. Usar lâmpadas AR virou moda, pois o visual da lâmpada é bonito…
    Vivi isso “na pele” em uma mostra que fui, dita “sustentável”: simplesmente um calor horrível decorrente de dezenas de dicróicas amontoadas no teto de alguns dos ambientes. Tem muita gente sem noção de coisa alguma neste mercado…
    Bjs!

  5. Paulo,
    Tô doida prá ver estas imagens, me interesso por este assunto e não sei nada sobre ele… Mas, infelizmente, não consigo ver qualquer foto. Nem no Firefox, nem no Internet explorer..
    abs
    Ro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s